Instruções Leonisticas

ESSÊNCIA X SUCESSO

Uma das preocupações que nos assaltam quando começamos a atuar num ambiente de trabalho, ou qualquer outro grupo de pessoas é a busca pelo sucesso, prestígio e poder.

Muitos se dedicam com tanto ímpeto em alcançar essas coisas, como se nelas estivesse a única garantia de vida e sobrevivência; tudo que se precisa para viver neste mundo; tudo que vale a pena. Mas a verdade é que o essencial são os relacionamentos.

A arte de saber se relacionar; a sabedoria de reconhecer o valor de cada um é a riqueza verdadeira.

De nada adianta o poder e o sucesso se isto nos leva negligenciar e perder os relacionamentos.

Se amamos o próximo, nos tornamos em pessoas de valor. Se preservarmos a todo custo o essencial, o sucesso virá como consequência e não será um objeto de cobiça que acabe por nos corromper.

Os nossos valores moldarão a nossa índole e dirão quem na verdade somos. Assim , quando os bons costumes e princípios estão estabelecidos, eles não permitirão que ondas de vaidade tirem o nosso foco. Para firmar e enraizar nossos valores devemos buscar as verdades e promessas de diariamente. Só assim não correremos atrás do vento das vaidades e manteremos o essencial.

Achegar-se ao trono da graça nos faz respirar o amor e sabedoria de Deus. Isso nos estabiliza e bloqueia as tentações vindas da cobiça por sucesso e poder como um fim em si mesmo.

Deus tem bençãos sem medida para quem o busca de todo coração. Busque a essência em e não precisará se preocupar com o resto.

Que em 2013 possamos ter esses preceitos em nossos corações, para termos um ano de muita paz, sabedoria e harmonia entre as pessoas que convivem conosco.

É o que desejo a todos que estão em meu coração para sempre.

CaL Maria Cecilia Bigarelli Ayub
Associada do Lions Agudos como Companheira Leão desde 1987.
Domadora do Leão Nelson Ayub desde 1967

Uma reflexão sobre a ética.

Esta reflexão não pretende responder e sim perguntar, para que possamos pensar sobre o tema.

A palavra ética vem do grego “ethos” que significa caráter. Os romanos traduziram para o latim para “mos” ou “mores” (no plural) que significa costume, de onde vem a palavra moral.

Já o dicionário Aurélio diz que “é o estudo dos juízos de apreciação que se referem a conduta humana suscetível de qualificação do ponto de vista do bem e do mal, seja relativamente a determinada sociedade, seja de modo absoluto”

Parece que é melhor ficarmos com a explicação simples dos gregos e dos romanos, que se pode chegar a uma conclusão que ética esta relacionada com o caráter, o costume e a moral.

Penso que existem percepções diferentes do que é ser ético para determinada sociedade, para determinado pais, estado, cidade, entidades ou até pessoas.

É ético estipular uma pena de cortar a mão de uma pessoa que rouba algo? Para um afegão pode ser, por causa dos costumes daquele pais, para um brasileiro quase nunca.

É ético um gaúcho perder 30 minutos de trabalho pago pela empresa para tomar mate?  Para os gaúchos pode ser, para um paulista quase nunca.

É ético a Rede Globo promover o “Criança Esperança” e ganhar  milhões explorando os recursos de mídia gerados por esta campanha?

É ético um cantor doar o seu cachê para se apresentar no “Criança Esperança” e na semana seguinte ganhar milhões com shows contratados por causa de seu nome estar vinculado ao “Criança Esperança”?

É ético um comprador ficar com um brinde que o ganhou de um vendedor que ele somente ganhou porque é comprador de uma empresa??  O brinde é da empresa ou do comprador??

É ético uma igreja pedir dinheiro para construir templos luxuosos??

E agora a pergunta difícil: Será que estamos sendo éticos em nossas ações como leões??

CL Claudio de Almeida
Lions Clube Santa Cruz do Rio Pardo – Villas Boas

A crise segundo Albert Einstein

Embora acredite que muito já se tenha dito sobre “a crise” acho que o texto abaixo deve ser compartilhado…

É claro que dependendo do leitor o texto poderá suscitar diferentes emoções. Na  primeira vez que o li senti desconforto com a expressão “a crise é a melhor benção…”

É difícil encarar uma crise como benção sabendo que trabalhadores estão perdendo seus empregos…

Mas se olharmos adiante e com uma visão mais abrangente talvez possamos entender o sábio Einstein….

“Não pretendamos que as coisas mudem se sempre fazemos o mesmo. A crise é a melhor benção que pode acontecer às pessoas e países, porque a crise traz progressos. A criatividade nasce da angústia, como o dia nasce da noite escura. É na crise que nascem as invenções, os descobrimentos e as grandes estratégias. Quem supera a crise, supera a si mesmo sem ficar “superado”. Quem atribui à crise os seus fracassos e penúrias, violenta o seu próprio talento e dá mais ênfase aos problemas do que às soluções. A verdadeira crise é a crise da incompetência. O inconveniente das pessoas e dos países é a preguiça de encontrar as saídas e soluções. Sem crise não há desafios, sem desafios a vida é uma rotina, uma lenta agonia. Sem crise não há méritos. É na crise que aflora o melhor de cada um, porque sem crise todo vento é afago. Falar da crise é promovê-la, e calar na crise é exaltar o conformismo. Em vez disto, trabalhemos duro. Acabemos de uma vez com a única crise ameaçadora, que é a tragédia de não querer lutar para superá-la”.

O Mês de Abril!

Abril é sem dúvida alguma, um mês magnânimo, marcante e importante no movimento Leonístico, para os Leões e familiares do Distrito LC-8.

Neste mês celebram-se o tão aguardado e maior evento distrital “Mês da Convenção”.

Os rumos das ações realizadas e das ações a serem realizadas, serão certamente lembradas, por meio da troca de informações, que ocorre sadiamente entre os leões de todos os clubes do distrito.

São indicados e definidos os novos dirigentes, os quais se incumbirão em dar continuidade ao desenvolvimento dos trabalhos futuros.

Reencontremos companheiros, companheiras e domadoras, antigos e de juba nova; com idéias, histórias e estratégias diferenciadas, mas com o propósito único em sua essência de servir voluntariamente.

A escolha da bela cidade de Araçatuba, acolhedora, não poderia ser melhor e mais agradável.

Temos a certeza absoluta que, assim como em todas as CONVENÇÕES DISTRITAIS realizadas anteriormente, os clubes do Distrito LC-8 comparecerão com uma grande delegação, com o costumeiro espírito de alegria e união, levando em consideração ainda, que neste ano, teremos uma novidade, iremos votar em 2 Vice Governadores: O CL Vladimir, do Lions Clube de Bauru Bela Vista e no CL Ricardo, do Lions Clube de Marília Terceiro Milênio.

Falar desses Companheiros é fácil. Tratam-se de pessoas que praticam a humildade em todos os momentos, que reconhecem que não sabem tudo sobre todas as coisas e que, permitem duvidar e arriscar para mudar.

Tratam-se de líderes natos, que sobem e descem o pedestal com serenidade e equilíbrio, não tendo medo do novo e de pensar diferente, sempre em defesa dos mais humildes.

EGD Antonio DeVito
Governador 1973/1974
Lions Clube de Vera Cruz

Simplicidade

Sempre admirei
A quem possa compartilhar
Não somente a riqueza
No convívio
Mas a simplicidade da vida…

Qualidades não excludentes
Mas complementares:
Ser rico em espírito e alma
Ser simples no coração
Ser sofisticado em sua mente…

Simples é a vida de quem pode
Dormir e acordar cedo…
Repousar tranquila a cabeça
Num travesseiro e despertar
Quando o sono acabou…

Simples é quem pode degustar
Um arroz com dois ovos
Com o mesmo apetite de quem
Prova o pescado do dia só com sal
Ou com as ervas finas da Provence…

Pobre a vida daquele
Que nunca soube generosamente
Repartir sua simplicidade!

Talvez porque nunca a tenha tido?
Tolice!Porque na sua cegueira
Não descobriu a simplicidade dentro de si!

CL Ricardo Komatsu

Sucesso

Discurso do publicitário Nizan Guanaes na formatura da FAAP

Dizem que conselho só se dá a quem pede. E, se vocês me convidaram para paraninfo, sou tentado a acreditar que tenho sua licença para dar alguns. Portanto, apesar da minha pouca autoridade para dar conselhos a quem quer que seja, aqui vão alguns, que julgo valiosos.

Não paute sua vida, nem sua carreira, pelo dinheiro. Ame seu ofício com todo coração. Persiga fazer o melhor. Seja fascinado pelo realizar, que o dinheiro virá como conseqüência. Quem pensa só em dinheiro não consegue sequer ser nem um grande bandido, nem um grande canalha. Napoleão não invadiu a Europa por dinheiro. Hitler não matou 6 milhões de judeus por dinheiro. Michelangelo não passou 16 anos pintando a Capela Sistina por dinheiro. E, geralmente, os que só pensam nele não o ganham. Porque são incapazes de sonhar.

E tudo que fica pronto na vida foi construído antes, na alma. A propósito disso, lembro-me uma passagem extraordinária, que descreve o diálogo entre uma freira americana cuidando de leprosos no Pacífico e um milionário texano. O milionário, vendo-a tratar daqueles leprosos, disse: “Freira, eu não faria isso por dinheiro nenhum no mundo.” E ela responde: “Eu também não, meu filho”.

Não estou fazendo com isso nenhuma apologia à pobreza, muito pelo contrário. Digo apenas que pensar em realizar tem trazido mais fortuna do que pensar em fortuna. Meu segundo conselho: pense no seu País. Porque, principalmente hoje, pensar em todos é a melhor maneira de pensar em si. Afinal é difícil viver numa nação onde a maioria morre de fome e a minoria morre de medo. O caos político gera uma queda de padrão de vida generalizada. Os pobres vivem como bichos, e uma elite brega, sem cultura e sem refinamento, não chega viver como homens.
Roubam, mas vivem uma vida digna de Odorico Paraguassu. Que era ficção, mas hoje é realidade, na pessoa de Geraldo Bulhões, Denilma e Rosângela, sua concubina. Meu terceiro conselho vem diretamente da Bíblia: seja quente ou seja frio, não seja morno que eu te vomito. É exatamente isso que está escrito na carta de Laudiceia: seja quente ou seja frio, não seja morno que eu te vomito.

É preferível o erro à omissão. O fracasso, ao tédio. O escândalo, ao vazio. Porque já vi grandes livros e filmes sobre a tristeza, a tragédia, o fracasso. Mas ninguém narra o ócio, a acomodação, o não fazer, o remanso. Colabore com seu biógrafo. Faça, erre, tente, falhe, lute. Mas, por favor, não jogue fora, se acomodando, a extraordinária oportunidade de ter vivido. Tendo consciência de que, cada homem foi feito para fazer história. Que todo homem é um milagre e traz em si uma revolução. Que é mais do que sexo ou dinheiro.

Você foi criado, para construir pirâmides e versos, descobrir continentes e mundos, e caminhar sempre, com um saco de interrogações na mão e uma caixa de possibilidades na outra. Não use Rider, não dê férias a seus pés. Não sente-se e passe a ser analista da vida alheia, espectador do mundo, comentarista do cotidiano, dessas pessoas que vivem a dizer: eu não disse!, eu sabia!

Toda família tem um tio batalhador e bem de vida. E, durante o almoço de domingo, tem que agüentar aquele outro tio muito inteligente e fracassado contar tudo que ele faria, se fizesse alguma coisa. Chega dos poetas não publicados. Empresários de mesa de bar. Pessoas que fazem coisas fantásticas toda sexta de noite, todo sábado e domingo, mas que na segunda não sabem concretizar o que falam. Porque não sabem ansear, não sabem perder a pose, porque não sabem recomeçar. Porque não sabem trabalhar. Eu digo: trabalhem, trabalhem, trabalhem. De 8 às 12, de 12 às 8 e mais se for preciso. Trabalho não mata. Ocupa o tempo. Evita o ócio, que é a morada do demônio, e constrói prodígios.

O Brasil, este país de malandros e espertos, da vantagem em tudo, tem muito que aprender com aqueles trouxas dos japoneses. Porque aqueles trouxas japoneses que trabalham de sol a sol construíram, em menos de 50 anos, a 2ª maior megapotência do planeta. Enquanto nós, os espertos, construímos uma das maiores impotências do trabalho. Trabalhe! Muitos de seus colegas dirão que você está perdendo sua vida, porque você vai trabalhar enquanto eles veraneiam. Porque você vai trabalhar, enquanto eles vão ao mesmo bar da semana anterior, conversar as mesmas conversas, mas o tempo, que é mesmo o senhor da razão, vai bendizer o fruto do seu esforço, e só o trabalho lhe leva a conhecer pessoas e mundos que os acomodados não conhecerão.

E isso se chama sucesso.

Autor Nizan Guanaes

Alta Tecnologia nas Visitas Oficiais

Colaboração CL Iberê Bonsi – Núcleo de Cabrália Paulista

O matuto falava tão calmamente, que parecia medir, analisar e meditar sobre cada palavra que dizia.

– É… das invenção doshómi, a que mais tem sintido é o abraço. O abraço num tem jeito dum só apruveitá!

Tudo quanto é gente, no abraço, participa duma beradinha…

Quandu ocê tá danado de sodade, o abraço de arguém ti alivia…. Quandu ocê tá danado de réiva, vem um, te abraça e ocê fica até sem graça de continuá cum réiva…

Si ocê tá filiz e abraça arguém, esse arguém pega um poquim de sua alegria…

Si arguém tá duente, quandu ocê abraça ele, ele começa a miorá, i ocê miora junto tamém…

Muita gente importante e letrado já tentô dá um jeito de sabê pruquê qui é qui o abraço tem tanta tequilonogia, mas ninguém inda discubriu…

Mas, iêu sei! Foi um isprito bão de Deus qui mi contô…

Iêu vô contá procêis uqui foi qui ele mi falô:

O abraço é bão prucausa do Coração…

Quandu ocê abraça arguém, fais massage no coração!…

I o coração do ôtro é massagiado tamém!

Mas num é só isso, não…

Aqui tá a chave do maior segredo de tudo:

É qui, quandu abraçamo arguém, nóis fica tudo é com dois coração no peito!

Ex-Governador – Uma Força no Lions

Tenho ouvido alguns comentários entre companheiros, com referência ao posicionamento de ex-governadores na sua vida leonística pós-governadoria.
Esses “críticos” entendem que eles devem “retornar à planície leonística“, após o seu mandato, deixando a área livre para o governador em exercício e o indicado.
Chegam a pensar, e alguns a dizer, que os ex-governadores gostam muito de “aparecer” o que, convenhamos não é verdade, sendo, sobretudo, injusto tal conceito. Simplesmente, ocorre o fato de que eles vibram com a causa leonística e, por isso mesmo, participam intensamente dos debates e sempre respondem de forma positiva aos convites para apresentar teses e trabalhos, alicerçados em seus conhecimentos e experiências sobre os assuntos específicos de Lions, uma vez que muito estudaram e foram até preparados para tal cargo.
É preciso que se dê uma certa ênfase à figura do ex-governador reconhecendo neste companheiro, antes de tudo, um leão que, por mais de um ano, se dedicou em regime “full time” à administração de seu distrito, com muitos sacrifícios pessoais, familiares e financeiros.
Ser ex-governador é muito mais difícil que governador. Explico: para o desempenho do mandato, o governador se preparou para tal e também programou a sua vida particular e profissional para aquele ano de dedicação integral, enquanto o ex-governador o será sempre, comparecendo a cada ano e sem qualquer espécie de ajuda financeira, às assembleias, fóruns, Conselhos Distritais, Convenções Distritais, Convenções do Distrito Múltiplo LC e até de Convenções Internacionais.
O enorme investimento: de tempo, trabalho, saúde, aprendizado, dinheiro, alegria, tristeza, tensão, emoção, decepção,  representado pela doação de um ano inteiro de sua vida servindo como governador, não deve ser jogado fora ou permanecer sem uso. Ele deve ter o retorno, como se fosse um capital investido.
A partir do momento em que, voluntariamente ele aceita uma indicação e passa a exercer um cargo dentro do seu distrito, ele deve assessorar o governador e suplementar os esforços deste em tarefas de difícil execução, principalmente no trabalho de fortalecer os clubes fracos, infundindo entusiasmo aos clubes, utilizando a experiência adquirida no passado, a serviço do futuro de nosso distrito.
A filosofia de Lions está impregnada pelo ideal de servir, repleta de ensinamentos éticos, incentivando respostas honestas às perguntas simples e profundas, contidas nos ensinamentos leonísticos.
Cumpre ao ex-governador utilizar a experiência adquirida no passado, a serviço do futuro. Para que jamais possa pairar, dentre os demais leões dos  distritos, a mais leve suposição de que a tarefa do ex-governador terminou.
O obsoleto, o omisso, o desinteressado, o desinformado, o acomodado são qualificativos que em hipótese alguma se coadunam com a atualização, a participação, o interesse, a informação e a atividade que caracterizam os ex-governadores.
O ex-governador é o veículo catalisador do entusiasmo, da coragem e do idealismo dos mais de 38  mil companheiros em 1.572 (posição em dezembro de 2007) clubes no Brasil, aguardando confiantes, a oportunidade de demonstrar sua fé no futuro do Lions e o reconhecimento do ideal de Servir!

CL Paulo Fernando Silvestre
Editor do Site de Instruções Leonísticas e LEOísticas
Assessor de Comunicação e Divulgação do DMLC
Associado do Lions de São Paulo – Ipiranga – DLC-2

SEU CLUBE É UMA CURTIÇÃO?

Diretor Internacional CL Mauro Werneck

Um Lions Clube tem como fim principal a prestação de serviços humanitários à parcela da comunidade que deles necessita.

Para que tenha êxito em sua missão, além da qualidade de seus membros, que devem ser cidadãos probos, talentosos e motivados para a causa da melhoria da qualidade de vida da comunidade, é imperioso que cada Clube de Leões seja uma célula de pessoas felizes, amigas, que desfrutem da companhia dos demais e com elas compartilhem princípios, valores e uma relação bem humorada, para que a presença nas atividades do clube seja, de fato, uma “CURTIÇÃO”.

No Brasil, e agora também em Portugal, “CURTIÇÃO”, além do velho significado referente a couros, peles e alimentos, é uma gíria muito em voga que relaciona o termo a pessoas, fatos, viagens, lugares e grupos que dão prazer, causam deleite, são agradáveis e bons de desfrutar.

Clubes que são uma “CURTIÇÃO” reunem pessoas felizes, bem humoradas, solidárias, muito propensas a atuar em equipe e servir ao próximo com alegria , sempre com um sorriso de satisfação nos lábios.

Para ser uma equipe de qualidade precisa um Clube de Leões ser, antes de tudo, uma verdadeira “CURTIÇÃO”. Suas reuniões são sempre uma atração que os sócios não querem perder e aguardam com ansiedade. As assembléias são excelentes oportunidades de reencontar companheiros agradáveis, simples, simpáticos, de bom “papo”, que compartilham princípios saudáveis, em reuniões bem planejadas, nas quais se cumprem os horários, se debatem com objetividade temas relevantes, comparecem visitantes convidados a expor assuntos de real importância, estimula-se e se dá atenção à formulação de novas idéias e se respeitam as posições e opiniões de todos.

Uma boa receita para que seu clube seja uma “CURTIÇÃO” consiste na seleção cuidadosa e criteriosa dos Leões, numa política bem executada de integração dos sócios, principalmente dos novos e dos mais tímidos e arredios, e na manutenção da qualidade e continuidade em todos os aspectos da vida do clube.

Uma boa atmosfera pode ser criada através da inspiração que nos suscitam algumas palavras iniciadas com as letras que formam o vocábulo “CURTIÇÃO”.

C de Companheirismo, Camaradagem, Compreensão, Conciliação, Compromisso.

U de União e Unidade.

R de Renovação, Respeito, Reconhecimento, Reciprocidade, Realismo, Reflexão.

T de Trabalho, Tranquilidade, Tenacidade, Tradição.

I de Igualdade, Idealismo, Imparcialidade, Informação correta e adequada, Inspiração, Imagem favorável na comunidade e no meio leonístico.

C de Carinho, Concórdia, Consenso, Calma, Construir, Caridade, Calor humano.

A de Alegria, Amizade, Altruismo, Acordo, Aliança.

O de Ordem, Organização, Ouvir com atenção e interesse

E o TIL e a CEDILHA , sinais ortográficos de nossa língua portuguesa, podem, quem sabe, representar umas pitadas do jeitinho bem brasileiro e do colorido da civilização luso-tropical que temperam nossas reuniões e fazem das assembléias de muitos dos Lions Clubes deste nosso imenso Brasil uma inigualável “CURTIÇÃO”, exemplo para as dos demais clubes, nas quais nunca faltam a simpatia, a beleza, a competência e a objetividade de nossas Domadoras e Companheiras Leões.

Se as reuniões de seu clube são tão agradáveis quanto eficientes e objetivas, se você está feliz e orgulhoso de a ele pertencer, se a Sociedade local o respeita e aprecia seus feitos, se as atividades decorrem num ambiente de alegria e confraternização, então,

MEUS PARABENS! SEU CLUBE É, DE FATO, UMA EQUIPE DE QUALIDADE E UMA VERDADEIRA “CURTIÇÃO”.

MOTIVAÇÃO

CL Amir Silveira
Instrução extraída do Boletim “Sem Fronteiras” do DLC-8

O leonismo é uma força viva e atuante, composta por CL Leões, CAL Leões, Domadoras, e Leos, sempre pensando em servir, sem interesse, sendo importante, que todos contribuam para o crescimento dos Clubes, admitindo novos sócios.

É grande a compensação em descobrir que você deu a um outro ente a oportunidade de desfrutar do bom convívio do nosso companheirismo, e sobretudo a de tornar-se útil.

As necessidades humanas e comunitárias estão aumentando a cada dia e precisamos motivar a todos com maior participação, idéias novas e objetivando com precisão as nossas atividades.

Cada um de nós é uma parte integrante da Associação Internacional de Lions, e nossas ações individuais têm uma relação direta, pela qual o nosso emblema é visto pelo público em geral, como indicador, sempre pronto a enfrentar todos os problemas que possam haver numa integração social.

Procuremos motivar os CL Leões e Domadoras a assistirem e enfrentarem as reuniões com o intuito de, respeitando a individualidade, participar ativamente dialogando, se comunicando, tendo consciência de que seus talentos e esforços são necessários, apreciados e debatidos para o bom andamento dos nossos propósitos em servir.

Portanto, a motivação é um elemento criado dentro do próprio indivíduo, por ele mesmo, procurando pensar em seus desejos e aquilo que deve despertar o seu interesse.

Finalmente, crie e ofereça uma oportunidade a todos aqueles que se encontram ao seu lado, permitindo a convergência de todas as nossas forças, nossas idéias, para um determinado objetivo, num exato momento.

SEMANA DA PÁTRIA
SEMANA DE REFLEXÃO

Prof. Luiz Carlos Vieira – Instrução apresentada em reunião festiva pela Semana da Independência, no Lions Clube de Lins – SP – Setembro de 2001


Inicialmente meus cumprimentos. É sempre com renovada satisfação que voltamos à este dinâmico clube de serviço, nesta oportunidade em que todos nos irmanamos nas comemorações da Semana da Pátria.

Quando solicitado para esta comemoração, senti a grandiosidade do evento e o compromisso com o seu conteúdo.

Semana da Pátria é Semana de Reflexão.  Ainda como adolescente, aprendi que Patriotismo é o amor à Pátria, e Civismo é a forma de sentir e demonstrar esse sentimento ou como define o dicionário Aurélio: Civismo é devoção ao interesse público.

Devoção e interesse ao bem público é o binômio gerador de um clube de serviço.

Do banco escolar fundamental, passando pelo universitário, até os dias atuais, venho, anualmente, experimentando a reflexão da Primeira Semana de Setembro, que antecede cosmicamente à primavera, prenúncio de novos tempos, transitória estação de flores, cores, renovação e esperança. Do estudante adolescente, recordo-me do Prof. Adauto Oliveira Serra, que assim motivava os jovens para a Pátria Semana.

“Vem de longe e distante a idéia libertadora que teve seu apogeu em 7 de Setembro de 1822. Beckman no Maranhão, Felipe dos Santos e o Mártir Tiradentes. O dia do FICO assinala o rastilho que iria aos poucos crescendo de entusiasmo e ardor patriótico e audácia cívica se avolumando em recalques épicos no íntimo dos lutadores liberais, se projetando cada vez mais em todos os recantos do país  em campanhas emancipadoras…”

Quando servi o exército li do nosso imortal Rui Barbosa:

“O sentimento que divide, minimiza, retalha, detrai, amaldiçoa, persegue, não será jamais o da Pátria. A Pátria é a família amplificada e a família, divinamente constituída. Tem por elementos orgânicos: a honra, a disciplina, a fidelidade, a bemquerência e o sacrifício. É uma harmonia instintiva de vontades, uma desestudada permuta de abnegações, um tecido vivente, de almas entrelaçadas. Multiplicai a célula e tendes o organismo, multiplicai a família e tereis a Pátria.

A Pátria não é um sistema, nem uma seita, nem um monopólio, nem uma forma de governo. É o céu, o solo, a tradição, a consciência, o lar, o berço dos nossos filhos e o túmulo dos antepassados. A comunhão da lei, da língua e da liberdade!

Os que a servem são os que não invejam, os que não infamam, os que não conspiram, os que não desalentam, os que não emudecem, os que não se acovardam!

Mas, resistem, mas ensinam, mas esforçam, mas pacificam, mas discutem, mas praticam a justiça, a admiração e o entusiasmo. Porque todos os sentimentos grandes são benígnos  e residem originariamente no amor.”

De meus anos de universitário relembro Monsenhor Luiz Gonzaga Pazzeto que afirmava: “a Pátria é a soma de todas as parcelas de bem”, e conclamava a juventude para o seu destino responsável. A liberdade, não é apenas uma conquista, ela exige permanente cuidado na sua preservação.

Como professor, entendo que todos os planos de equilíbrio social dependem da família para se concretizar! A ordem social, a paz social, o aperfeiçoamento social, base de maior amplitude de nossas liberdades se assentam na estrutura familiar.

Eis aqui a importância deste evento que reúne as forças-vivas de nossa comunidade para comemorar a efeméride maior do nosso calendário cívico.

O Lions Clube é obviamente uma mega família! – E o nosso Lions Clube de Lins há mais de quarenta anos, somando famílias de nossa comunidade, é na realidade uma atuante parcela cívica e identificada comunitariamente  através de suas campanhas permanentes:

·        Dr. Feliz: Abnegados, como todos os membros deste clube, semanalmente visitam a Pediatria da Santa Casa, distribuindo doces e levando alegria às crianças internadas.

·        Dente-São: em parceria com a Faculdade de Odontologia de Lins e Polícia Militar, anualmente, proporcionam saúde e sorriso feliz às crianças de nossas creches.

·        Projeto Vendo e Aprendendo –  com envolvimento dos médicos oftalmologistas de nossa cidade e Diretoria Regional de Ensino de Lins realizam a doação de óculos às crianças que iniciam a primeira série do Ensino Fundamental.

E tantas outras iniciativas que os clubes de serviço desenvolvem em pról da comunidade.

Eu diria de pura filantropia cívica.

Concluindo, os senhores e senhoras presentes, no exercício de suas atividades cotidianas contribuem efetivamente para o desenvolvimento e progresso da paz social que todos nós desejamos que exista.

Encerro citando mais uma vez Rui Barbosa: “Dilatai a fraternidade cristã e chegareis das atenções individuais às solidariedades coletivas, da família à Nação e da Nação à humanidade”.

AMOR PUERIL PELA BANDEIRA BRASILEIRA
CL Iracy Vieira Catalano
Considera a Bandeira como a imagem viva da Pátria “ (Coelho Neto)

Em um recanto longínquo do interior do Brasil, no dilúculo do dia, com suas nuanças e brisas refrescantes, refletidas no modesto e humilde rincão de verdes paragens, rasgando todo o horizonte, dois irmãos, garotos pobres, com puros e ebulientes sentimentos patrióticos para a idade, absorvidos na vivência dos bancos escolares, e de uma família com uma reserva cívica extremada, deliberaram aprestar no quintal de sua indigente moradia, com cercadura de lenha e gravetos, um mastro com a Bandeira do Brasil, como uma exornação cívica em seu lar, com sua sombra protetora e amiga. Esse intento atestava constritamente as santas emoções do dever de ambos à Pátria, explicitando um conteúdo de humildade e amor em seus castiços corações, e de uma apoteose de reflexões e pensamentos puros, aureolados de uma ledice contagiante.

Recolheram de um pequeno baú, velho e abandonado, acantoado no casebre mais parecendo um tugúrio, mas digno a altivo, de chão de terra batida, contudo limpo e asseado, um retalho de tecido verde, já desvanecido pelo tempo e uso. Com uma velha e emugrecida tesoura sem corte, e sem o apresto prévio, molduraram um retângulo, sem nenhuma conformidade, pois desconheciam a ajustada proporção de seu tamanho relativo.

Na inexaurível imaginação infantil de cada um, concebiam um majestoso pendão auriverde, com uma esfera azul celeste jugulando um aglomerado de estrelas fulgentes, num implexo feliz, de paz e aleluia. Era o pavilhão brasileiro, que eles veneravam com uma dedicação indescritível, na ternura do infindo amor, que assinalava o alentado embasamento e chama viva do espírito cívico, enraizado e evolucionado no decurso de suas vidas.

Não tinham em seu abarcamento nenhum modelo de abrangência de sua querida bandeira, porém, assentado nos desenhos feitos na escola, instituíram uma imagem dúlcida do que iriam conceber. O amor e a inclinação ao símbolo máximo da Pátria, iriam sobrelevar e o intuito seria consolidado. Encontraram no baú avelhentado, um pano amarelo envilecido pelo tempo, quase branco, dilacerado e com apoucados furos localizados; não obstante, era o que dispunham na ocasião, e retalharam um losango. Com agulha e linha, o arraigaram no retângulo esverdeado, amassado e amolgado, mas que tinham ciência, representava as nossas exuberantes e incomensuráveis florestas, entre elas a Amazônia, nossa Hiléia Brasileira, cheia de mistérios e com suas decantadas e engrandecidas riquezas e incontidas belezas naturais.

Procuraram um tecido para a esfera azul, mas não encontraram nenhum desse matiz no baú. Não se abduziram diante desse percalço. Com os corações latejando pela sublime aspiração patriótica, cruzaram até o quintal, onde se entendia um caixote encanecido, com andrajos velhos já atassalhados e encontraram uma velha calça rasgada de seu pai, uniforme de gari da prefeitura local, na cor desejada. Recortaram então uma esfera, e com emoção incontida, engalanada em suas faces pueris, implantaram-na no losango amarelecido, que naquele momento, concebia as desmesuradas riquezas minerais e opulências do Brasil.

Pronto! Articularam juntos, num momento de pura exaltação: Eis a nossa bandeira!… Mas estava inconclusa, faltava a legenda Ordem e Progresso, para rematar a altiva empreitada dos estuosos pequeninos irmãos.

Vibrantes, cheios de candura e com semblantes preenchidos de emoção e alegria profusa presenteando seus corações, numa atadura esbranquiçada encontrada ao acaso, anotaram com um carvão, o dístico mágico, criado por Benjamin Constant e o ataviaram na esfera azul, onde colaram estrelas de papel abolado, sabendo que cada uma simbolizava um estado de nosso gigantesco país.

Faltava ainda o mastro. Encontraram um aprumado e túrgido galho de árvore frondescente, derribado no chão, e incontinenti, enlaçaram as duas pontas de sua querida bandeira, de maneira inadequada, pois não tinham a conformidade exata. Era o melhor que poderiam ter feito. Encravaram então, o repentino mastro no piso do quintal, deslumbrados e elevados.

Passaram então a admirá-la com devoção infantil, sentindo um grande desejo de acariciá-la, sem esconderem seus sublimes e pueris sentimentos, ao desfrutarem, no repouso da obra cívica, o panejamento de suas dobras, que esvoaçava na aragem de um sopro refrescante, amável e acolhedor, que imponentemente prestava tributo àquela insígnia sagrada. Mal dimensionada, desvanecida, e de trapos velho, mas confeccionada com muito orgulho, ternura, devotamento e carinho, com o préstito do ardor patriótico de duas crianças cheias de humildade, contida interiormente em seus pequenos corações. Que se agigantaram dentro de um pensamento nobre, flamejado pelo claror feérico do amor à Pátria, rememorando Coelho Neto, quando escreveu em seu festejado Breviário Cívico: “Considera a Bandeira como a imagem viva da Pátria, prestando-lhe o culto do teu amor e servindo-a com todas as forças do teu coração”.

Os pássaros, abvolando seus caminhos na brisa refrescante, e rasgando todo o horizonte, com o sol alvacentado pelas nuvens, num alegre revoar, trinavam agitados, como aves de anunciação, ao cruzarem próximo ao recém edificado santuário cívico. Com seus olhares adelgaçados, evidenciando um persistente regozijo, alastraram um lampejo de respeito e deferência àquele pavilhão sagrado, aprestado por inocentes mãos infantis, corporificando seus intentos primaciais com sobranceria, no iluminamento e expoência de suas nobres aspirações, confortadas em uma ideação comum.

Certamente, esses garotos, na pureza cristalina e na maturidade natural e serena de suas vidas, arquivando adereços morais e éticos em seus corações, terão um imenso jardim interior repleno de harmonia, candura, afetuosidade e dedicação, e colherão as flores benignas e meigas no amanhã, contagiando e envolvendo a todos com seus predicados de amor e patriotismo, espargindo singela fragrância perfumada e aveludadas bênçãos de luz, de serenidade e de esperança. Serão eles, a embarcação da esperança, percorrendo pelos tempos, alastrando nas paradas de cada jornada, luzes sensíveis de conhecimentos, da grande escola da vida, onde iremos assimilar as doces carícias da semente do amor, da humildade e  de grandiosos ornamentos de emoção cívica à nossa Bandeira e à nossa Pátria.

A Parte Cheia do Cálice Chamado Brasil
A verdade sobre o nosso Brasil, que muitos desconhecem e muitos não divulgam. Por que?
Prof. Dr. Luiz Marins

Afinal que Brasil é este?
O que está realmente acontecendo com o Brasil?

Afinal por que estão as maiores empresas americanas e européias afirmando que seu maior portfólio de investimentos para os próximos 10-15 anos será nesta região do mundo? Será que viraram devotos de NS Aparecida do dia para a noite?

Acredito que seja o momento de passarmos de uma consciência ingênua para uma consciência crítica sobre o momento atual brasileiro. Nos corredores do Fórum Econômico Mundial em Davos os Ministros e autoridades declaravam sua intenção de investir no Brasil nos próximos anos o que nunca haviam pensado. Afinal que mercado é este?

Vejo dados confusos sobre o Brasil. Os jornais mostram a desgraça, o estupro, as balas perdidas… e esse pessoal continua vindo para o Brasil? As empresas espanholas e portuguesas acabam sendo maiores aqui do que na própria Espanha e Portugal e assim por diante. Acho que está na hora de explicar o Brasil com dados – dados de pesquisa – dados sérios, em vez do “chutômetro” aplicado a todo o momento para nos confundir.

Um exemplo digno é o divulgado em abril do ano passado, nos 500 anos do Brasil. Todos os jornais estamparam para o mundo todo que éramos 5 milhões de índios no Brasil em 1500. Ora, se há dúvidas de quantas pessoas exatamente vieram nas caravelas em 1500, como é que sabemos que éramos 5 milhões de índios em 1500 no Brasil? Quem contou? Qual o IBGE da época ou GPS que mediu os 5 milhões? Algum louco, com base em especulações referentes à mortalidade infringida pelos espanhóis no México, chegou à conclusão absolutamente absurda de que éramos 5 milhões e isso virou “verdade”! E assim logo dizemos que temos 120.000 desabrigados nas ruas de São Paulo, 45 milhões de miseráveis, etc., etc. Até quando seremos obrigados a engolir essas verdadeiras barbaridades?

Para passarmos de uma consciência ingênua para uma consciência crítica e compreendermos o que está acontecendo, temos que saber que o mundo tem o que se chama de “mercados maduros”. “Mercado maduro” é o mercado em que o crescimento do consumo é equivalente ao incremento vegetativo da população – ou seja – se a população cresce aumenta o consumo. Se não cresce o consumo continua estático. Assim o consumo de cerveja nos EUA, por exemplo, cresceu 2% acumulado nos últimos 5 anos e deverá crescer apenas 2% nos próximos cinco anos. No Japão 35 prefeituras exigem um atestado que diga que você tem onde colocar seu carro para que um concessionário possa vender um automóvel novo a você – problema de espaço vital. O consumo de biscoitos na Inglaterra não cresce há dez anos.

Esses mercados maduros – EUA, Europa e Japão – onde se encontram as empresas igualmente maduras – IBM, Toyota, Electrolux, etc. – precisam de mercados emergentes – onde o crescimento do consumo seja maior do que o incremento vegetativo da população. Quais são esses maiores mercados hoje no mundo? Brasil, Índia e China.

Mas não nos iludamos muito com a China. A China tem 76% de sua população em campesinato. A Índia 72% e o Brasil apenas 22%. Assim, o país pronto para consumir produtos ocidentais de alguma tecnologia que não seja bicicleta, alfanje, etc. é o Brasil e por extensão o Mercosul. Por isso estão todos aqui e querendo investir mais e mais aqui. O mercado brasileiro, segundo dados da Nielsen, cresceu nos últimos 5 anos: (Os dados abaixo assinalados com asteriscos têm como fonte AC Nielsen)

* 859% em fraldas descartáveis
* 369% em mistura para bolos
* 310% em alimentos para gatos
* 282% em leite flavorizado
* 273% em alimentos para cães
* 219% em leite longa vida
* 201% em massas instantâneas
* 176% em cereais matinais
* 116% em carnes congeladas
* 81% em água mineral

O Brasil é hoje um mercado que apresenta alguns dados impressionantes:

* 1,3 milhão de lavadoras de roupa
* 82% mais que no Canadá
* 4º. maior mercado do mundo

* 8,02 trilhões de litros de refrigerantes
* 343% mais que no Canadá
* 3º. Maior mercado do mundo

* US$1,3 bilhão em alimentos “diet” ou “light”;
* US$100 milhões em 1990
* US$6 bilhões em 2010

* 63,4 mil toneladas de creme dental
* 456% mais que na Itália

* 51,4 mil títulos de livros
* 12% mais que a Itália

* US$1,2 bilhão em CD’s
* 5º. maior mercado fonográfico do mundo

* 681,9 mil toneladas de biscoito
* 27% mais que o Japão
* 2º.maior mercado do mundo

* 3 milhões de geladeiras
* 66% maior que o Reino Unido
* 4º.maior mercado do mundo

* 11 milhões de usuários da Internet
* 95% das declarações de IR foram enviadas via
Internet,
* 40% do total na América Latina e o dobro do
México.

E é importante que saibamos que somente a chamada classe média e emergente no Brasil hoje representa 35 milhões de famílias (IBGE). Assim, só a classe média e emergente no Brasil é:

* 8% maior que a população da Alemanha.
* Maior que a República Checa, Bélgica, Hungria, Portugal, Suécia, Áustria, Suíça, Finlândia, Dinamarca, Noruega, Irlanda, Nova Zelândia, Luxemburgo e Islândia juntos.
* É maior que a França e Canadá juntos.
* Equivale a um terço da população dos Estados Unidos.
* Equivale a 72% da população do Japão.

Nós também não temos consciência de que o Brasil representa 42% do PIB da América Latina incluindo o México e seu PIB, representa 13,3% do PIB total dos países em desenvolvimento, incluindo a China.

E que:
* Todo o PIB da Argentina…
* Equivale ao Interior do Estado de São Paulo

* Todo o PIB do Chile…
* Equivale ao Grande Campinas (Ernest & Young)

* Todo o PIB do Uruguai…
* Equivale ao bairro de Santo Amaro em São Paulo

É preciso compreender que as empresas multinacionais estão investindo aqui porque o Brasil é o 5º País do mundo em Poder de Compra com mais de US$1 trilhão de dólares em Purchasing Power Parity.

Ranking de hoje:-  EUA, China, Japão, Alemanha e Brasil.

Pense nisso. Passe de uma consciência ingênua para uma consciência crítica a respeito do Brasil. Se somos 33 milhões de pobres somos também 120 milhões de não pobres, e isso quer dizer muita coisa num mundo de mercados maduros.

E, acredite, dentro de mais alguns anos – 3 ou 4 – teremos no Brasil juros internacionais. Isso significa que poderemos ir ao banco para que ele financie o nosso crescimento a juros decentes de 10-12% ao ano e não ao mês. Como a empresa brasileira é a mais “líquida” do mundo (não deve muito a bancos – pois se dever, quebra), o crescimento será exponencial, uma vez que todas as pesquisas mundiais mostram ser o brasileiro o mais “empreendedor” dos povos. E juros internacionais também farão com que o consumidor brasileiro possa consumir mais, dever mais, criando um círculo virtuoso de crescimento do mercado. Daí a razão de todos os bancos internacionais estarem comprando ou expandido suas ações de varejo no Brasil.

Agora é o momento de acreditar e investir, lembrando que o futuro do Brasil é maior que o seu passado. O Brasil é um cálice de vinho com metade cheia e metade vazia. Mas é importante não vermos só a parte vazia desse cálice. Ela existe e é grave. Mas existe uma parte cheia que está atraindo a atenção do mundo inteiro.

Pense nisso. – Valorize o nosso Pais !!!

O “Servir” nos tempos da Globalização

EGD CL Manoel Messias Mello

O advento da globalização, a competição do mundo moderno e o capitalismo selvagem tem tornado as pessoas frias e insensíveis.

O paradoxo de nosso tempo na história é que temos edifícios mais altos, mas pavios mais curtos; auto-estrada mais largas, mas pontos de vistas mais estreitos; gostamos mais, mas temos menos; nós compramos mais, mas desfrutamos menos.

Temos casas maiores e famílias menores; mais conveniências, mas menos tempo; temos mais graus acadêmicos, mas menos senso; mais conhecimento e menor poder de julgamento; mais proficiência, porém mais problemas; mais medicina, mas menos saúde.

Bebemos demais, fumamos demais, gastamos de forma perdulária, rimos de menos, dirigimos rápido demais, nos irritamos muito facilmente, ficamos acordados até tarde, acordamos cansados demais; raramente paramos para ler um livro, ficamos tempo demais diante da TV e raramente oramos.

Multiplicamos nossas posses, mas reduzimos nossos valores. Falamos demais, amamos raramente e odiamos com muita freqüência. Aprendemos como ganhar a vida, mas não vivemos essa vida. Adicionamos anos à extensão de nossas vidas, mas não vida à extensão de nossos anos. Já fomos a Lua e dela voltamos, mas temos dificuldades em atravessar a rua e nos encontrarmos com nosso vizinho.

Conquistamos o espaço exterior, mas não nosso espaço interior. Fizemos coisas maiores, mas não melhores. Limpamos o ar, mas poluímos a alma. Dividimos o átomo, mas não nossos preconceitos. Escrevemos mais, mas aprendemos menos. Planejamos mais, mas realizamos menos.

Aprendemos a correr contra o tempo, mas não a esperar com paciência. Temos maiores rendimentos, mas menor padrão moral. Temos mais comidas, mas menos apaziguamento. Construímos mais computadores para armazenar maiores informações para produzir mais cópias do que nunca, mas temos menos comunicação. Tivemos avanços na quantidade, mas não em qualidade.

Estes são tempos de refeições rápidas e digestão lenta, de homens altos e de caráter baixo; lucros expressivos, mas relacionamentos raros. Estes são tempos em que se almeja paz mundial, mas perdura a guerra nos lares; temos mais lazer, mas menos diversão; maior variedade de tipos de comida, mas menos nutrição. São dias de duas fontes de renda, mas de mais divórcios; de residências mais belas, mas lares quebrados.

São dias de viagens rápidas, fraldas descartáveis, moralidade também descartáveis; ficadas de uma só noite, corpos acima do peso e pílulas que fazem de tudo: alegrar, aquietar, matar.

Pessoas tão preocupadas em procurar do lado de fora que até se esquece de olhar por dentro.

Mas, por sorte, temos pessoas que vencem o desafio do tempo e conseguem por meio de serviços desinteressados, tornar a vida mais prazerosa de ser vivida. São os Companheiros, Companheiras e Domadoras de nosso Lions Clube.

Somos fortes quando unidos. Pois entendemos que a única coisa que possuímos de verdade é a necessidade do outro.

Afinal, não chegaremos muito longe, se não fizermos algo pelo nosso semelhante.

Neste tempo da globalização em que há muito na vitrine e nada no estoque, que Deus nos ajude a amar e servir sempre.

O Código de Ética dos leões:
Ensaio Sobre Valores e Visões
EGD CL Manoel Messias Mello

Valores e visões são interdependentes entre si?
A empatia é componente importante nesta relação?
O que é a entropia? Estamos sujeitos a ela?

Esta indagação nos leva a reflexões importantes. Os valores  são traduzidos em normas de condutas. No leonismo, o código de ética do leão comporta sabiamente os valores contidos no sócio. São eles, pela ordem de cada enunciado: profissionalismo; dignidade e honestidade; humildade; desinteresse pessoal nas amizades; lealdade; fraternidade e compreensão.

A amplitude das visões de cada ser humano é mensurada pelos valores internalizados e colocados naturalmente em sua estética.

Nesta seqüência a empatia é componente importante para a boa convivência dos grupos sociais. A empatia é o ato de se colocar no lugar do outro.

Assim, antes de formar nossas convicções sobre qualquer questão é importante praticar a empatia com coração aberto.

É importante entender algo mais. Os valores de cada pessoa são diferentes e, portanto, determinam visões de diferentes amplitudes. O segredo é entender cada visão abrangida na estética das pessoas. Aí está o significado da empatia nas relações interpessoais.

Quando esta regra não é observada, é possível vivenciar a entropia. Tendência que os sistemas tem para desgaste, para a desintegração, para o afrouxamento dos padrões e para um aumento da aleatoriedade. Quanto às organizações, entropia é um processo pelo qual todas as formas organizadas tendem à exaustão, à desorganização, à desintegração e, no fim, à morte.

Daí o Lions Clube Internacional manter sempre vivo os valores contidos no Código de Ética dos Leões, da prática constante da estética, pessoal e institucional, representada pela formalidade das reuniões, protocolo e cerimônia de posse de novos sócios, dentre outros.

Elogiável a capacidade imensurável de nossos Leões e Domadoras de praticar a empatia e, inclusive, aceitar o dogma de “decidir contra mim mesmo, no caso de dúvida quanto ao direito ou a ética de meus atos perante meu próximo”, conforme transcrito em nosso Código de Ética.

É por isso que Nós Servimos. O companheirismo é nossa forma de expressar o amor que sentimos por nossos semelhantes. A Invocação a Deus é a estética do Leão para expressar nosso amor e a fé em Deus

O Lions e a ONU
CL PCC Flávio Mendes

Os Leões desempenharam um considerável papel nas atividades da conferência de organização da O.N.U., que marcaram a fundação das Nações Unidas. Na verdade, Melvin Jones, o PIP D. A. Skeen e o PIP Fred Smith exerceram papeis importantes na formulação de seções não governamentais na composição da O.N.U., em 1945.
Desde 1947, Lions Clubs International tem desempenhado uma posição de consultor no Conselho Econômico e Social(ECOSOC) das Nações Unidas. ECOSOC é a estrutura das Nações Unidas cuja preocupação principal consiste na melhoria do bem-estar de todos os seres humanos. O primeiro objetivo de nossa Associação, “Criar e fomentar um espírito de compreensão mútua entre os povos da Terra”, assemelha-se muito ao 2o e 3o propósitos das Nações Unidas: “Desenvolver relações de amizade entre as nações” e “Alcançar cooperação internacional na solução de problemas gerais de caráter econômico, social, cultural e humanitário”.
Durante os vários anos de relacionamento com a O.N.U., os clubes em diversos países tem trabalhado com agencias especializadas tais como a Organização de Alimentos e Agricultura(FAO), Fundo da ONU para Crianças(UNICEF), Representante Governamental para Refugiados(UNHCR), Programa de desenvolvimento da ONU(UNDP), Programa de Meio Ambiente da ONU(UNEP), Organização de Ajuda ás Vítimas de Catástrofes da ONU(UNDRO), Programa mundial de Alimentação((WFP), Organização Mundial de saúde(WHO), Organização Educacional Cientifica e Cultural da ONU(UNESCO), e o Fundo da ONU para Controle do abuso de Drogas(UNFDAC). Esta troca de experiências tem ajudado a erradicar a Varíola ao redor do mundo, melhorou as condições de vida de mais de bilhões de crianças e tem contribuído para reduzir a produção ilegal de drogas em vários países através da substituição dos plantios e conscientização coletiva.
Por tudo isso, nos últimos 21 anos, a Associação Internacional de Lions Clubes, tem tido o privilégio de celebrar o “DIA DO LIONS NAS NAÇÔES UNIDAS”, em Nova York, E.U.A. Somos a única organização internacional de serviços para a qual esta distinção foi concedida. Durante esta sessão informativa, representantes das agências humanitárias da ONU e embaixadores de países nos quais está instalado o movimento leonístico, tem a oportunidade de propagar uma troca de experiências sobre diversos assuntos de interesse comum. Em março de 1985, a Diretoria Internacional expressou sua aprovação refernte a aprovação deste conceito para o “DIA do LIONS com as NAÇÕES UNIDAS”, através do qual os Lions Clubes estariam incentivados a promover reuniões com agentes humanitários da ONU, no mesmo dia em que o Presidente Internacional de nossa Associação encontra-se com o Secretário Geral. O dia exato é agendado anualmente ficando entre a segunda quinzena de Fevereiro e a primeira de Março, quando os prêmios do Concurso do Cartaz Sobre a Paz são entregues às crianças vencedoras de todo o mundo. Muitos centros de informação da ONU estão espalhados por todo o globo. Dependendo da localização do seu clube, e dos recursos disponíveis, os Leões poderão organizar juntos, eventos grandiosos ou mesmo pequenas palestras e cursos sobre temas humanitários com convidados da ONU local.

História do Acróstico do Leonismo no Brasil
CL. Antonio Domingos Andriani

Desde que o segundo acróstico oficial do LIONS foi adotado no Brasil, em 8 de agosto de 1952, ficou nacionalmente sacramentado e conhecido como “Liberdade, Inteligência, Ordem, Nacionalidade e Serviço”.
Durante a 3a. sessão plenária do CNG 97/98, realizada em 27 de maio de 1998, na capital mineira, Belo Horizonte, o Colegiado do Conselho aprovou, por maioria, moção apresentada pelo L.C. de São Paulo – Jardim Paulista, e de autoria do PDG José Gilberto Ribeiro Ratto, alterando o significado das letras “I” e “N” do moto da palavra LIONS.
O CL. Ratto, que defendeu pessoalmente a proposta junto ao Colegiado 97/98 do CNG, convenceu pela razão e pelo seu elevado sentimento leonístico e patriótico. Sua moção procurou adequar os enunciados das letras “I” e “N” para que os mesmos representassem conceitos interpretados pela expressão da linguagem e cultura do povo brasileiro, sem se afastar dos mandamentos filosóficos do leonísmo.
De conformidade com a proposição apresentada, que foi aprovada pelo Colegiado e editada como Resolução do CNG, as palavras “Inteligência” e “Nacionalidade” foram substituídas por “IGUALDADE” E “NACIONALISMO”.
Dessa forma, desde 27 de maio de 1998 o leonísmo brasileiro tem o seu terceiro acróstico oficial de LIONS: “Liberdade, Igualdade, Ordem, Nacionalismo e Serviço”.
A propósito, e para complementar o registro, convém assinalar que o primeiro acróstico de LIONS no Brasil, e que vigorou de 16/04/1952 (Fundação do Clube Mater do Rio de Janeiro) a 07/08/1952, era “Liberdade, Entendimento, Organização, Nacionalidade, Esforço e Serviço”. Havia sido retirado das letras que formam a palavra LEONES em espanhol.
Embora alguns Companheiros já tenham tomado conhecimento do assunto, achei por bem reproduzi-lo e divulga-lo em nosso meio para que, a critério de cada um, seja aproveitado como Instrução Leonística em uma reunião de Clube.

Juvenil ou Varonil?
CL Jackson Ribeiro Falcão.

“Recebe o afeto que se encerra em nosso peito juvenil (ou varonil?)
Querido símbolo da terra, da amada terra do Brasil”.
Todos nós cantamos com entusiasmo e respeito este estribilho. Todos cultuamos o símbolo sagrado de nossa Pátria: A Bandeira. Só que, por vezes, vacilamos, reduzimos o volume de nossa voz e deixamos que os mais afoitos cantem primeiro.
É que não estamos seguros se o poeta escreveu juvenil ou varonil. Como nós não podemos mudar as palavras dos versos do poeta Olavo Brás Martins dos Guimarães Bilac (1865 – 1918) devemos cantar juvenil, pois ele escreveu essas consagradas palavras, para que as crianças das escolas públicas do Rio de Janeiro, tivessem uma canção para acompanhar o içamento da Bandeira Brasileira ao topo dos mastros. Compôs a pedido do prefeito Pereira Passos durante a inauguração da Escola Tiradentes.
Depois, então, que o Hino tomou notoriedade e se incorporou no domínio público, é que chegou aos quartéis.
Na Segunda década do século, Bilac tinha trânsito livre pelos Gabinetes.
Era o maior poeta Brasileiro. Era um dos líderes dos movimentos patrióticos. Era defensor da obrigatoriedade do serviço militar em substituição ao conspurcado sistema de “sorteio para o serviço militar”, em que só os pobres tinham o dever de servir à Pátria.
Graças à este prestígio as nossas forças armadas incluíram o cântico do Hino à Bandeira nas cerimônias militares, tendo, para tanto, obtido autorização do poeta para usar varonil e não juvenil, como cantavam nas escolas. Afinal os soldados eram varões e não infantes.
E nós, do Lions, com ficamos? Ficamos com o original, pois não obtivemos autorização do poeta para modificar seus versos

Companheirismo Global e Objetivos do Lions
EPI CL Augustim Soliva

Não muito tempo atrás, participei de um encontro zonal em uma cidade do meu distrito e, em seguida, alguns de nós se juntaram em volta da mesa e discutiram o que tinha transparecido no programa. Meu amigo Eduardo, estava lá, juntamente com os Leões Paulo, Alfredo, Benjamim, e três ou quatro outros. “Completamos numeroso projetos e planejamos muito mais nos próximos meses”, um observou, “e o pensamento comum que acompanha a todos eles, porque os serviços que proporcionamos são excepcionalmente diversos, e quanto todos nós apreciamos trabalhar juntos”.
“É verdade”, disse Eduardo. “Nunca há uma falta de companheirismo em nenhuma de nossas atividades, sejam feiras de saúde, seja ajudar a construir prédios e clínicas comunitárias, sejam os projetos SightFirst ou levar os idosos e enfermos para sair.”
“Este companheirismo não é limitado aos Leões que vivem na mesma cidade, ou mesmo na mesma zona ou região como no encontro de hoje”, enfatizou Alfredo, que tinha se juntado como um visitante de outro distrito. “Também fui cumprimentado como um Companheiro Leão e compartilhei completamente todos os procedimentos”.
“Vocês todos tocaram um ponto importante”, ressaltei. “Os Leões de todos os lugares participam de uma vasta variedade de programas de serviço, se engajam em algumas campanhas de arrecadação de fundos recompensadoras e, é claro, se dedicam aos ideais sintetizados na filosofia do Nós Servimos. Entretanto, é o maravilhoso companheirismo compartilhado por todos os membros que nos mantêm juntos. É este caloroso e aconchegante companheirismo que construí as pontes entre Leões de diferentes línguas, religiões e culturas, pontes que estão permitindo que os Leões se unam em programas de serviços e como indivíduos tendo um propósito comum. Entretanto, este companheirismo é testemunho em todos os níveis do Lions Clubes Internacional e ninguém pode deixar de admirar como ele consistentemente, quebra quaisquer barreiras que possam existir entre as pessoas.
“Participei de três convenções internacionais, a mais recente em Montreal”, observou Eduardo, “e este companheirismo torna possível a todos, milhares de Leões e suas famílias, falar a mesma língua. Tradutores não são necessários quando um aperto de mão e um sorriso nos contam que compartilhamos os mesmos ideais. Mesmo a troca de broches e bandeiras de amizade nos asseguram que estamos todos no mesmo time”.
Continuamos a trocar histórias sobre como este companheirismo nos fez melhores como Leões. Então comentei como este companheirismo é uma força de união, ajudando Leões de todo o mundo a conduzir suas vidas no espírito de nossos objetivos, a pedra de fundação do Lions Clube Internacional de 1919, em Saint Louis, eles permaneceram por todo tempo e podem ser aplicados em situações que apareçam, para nos ajudar a nos tornar melhores e mais bem sucedidos no papel de líderes no serviço voluntário em nossas comunidades e na comunidade mundial.
“O Primeiro”, eu disse, “está relacionado diretamente a posição de liderança que conquistamos na promoção internacional da boa vontade, pela palavra e pelo exemplo. Criar e estimular um espírito de entendimento entre os povos do mundo. Somos construtores de pontes por todo o mundo, nos estendendo aos outros no entendimento e harmonia. Isto é estender, claramente o companheirismo leonístico em uma dimensão global.
Meus amigos estavam orgulhosos deste reconhecimento e concordaram que o segundo objetivo, Promover os princípios de um bom governo e uma boa cidadania, encoraja a construção de pontes entre as pessoas e os funcionários públicos que as servem. Todos devem cruzar estas pontes para assegurar o desenvolvimento de comunidades progressivamente melhores. “Não pode haver dúvida “, defendeu Eduardo, “que a adesão ao terceiro objetivo, Ter um interesse ativo no bem-estar cívico, cultural, social e moral da comunidade, não apenas irá construir pontes de preocupação mútua na comunidade, mas irá, também, impregnar estas comunidades com os ideais de companheirismo que tornam possível, aos Leões, trabalhar juntos por décadas.” Todos nos sabíamos que suas observações estavam corretas e eu me apressei em acrescentar que quando os Leões passam a ter este interesse ativo, percebem como os seus clubes podem se tornar mais envolvidos na satisfação da comunidade. Isso, por sua vez, irá resultar num maior número de projetos de serviços e aumentar os depósitos no Banco Mundial de idéias, inspirando outros Lions Clubes a investigar caminhos através dos quais poderão conduzir atividades semelhantes.
Imediatamente concordamos que nosso quarto objetivo se relaciona diretamente com o companheirismo global apreciado pelos Leões: Unir os Clubes através de laços de amizade, bom companheirismo e compreensão mútua.
Evidentemente, compartilhamos ideais comuns e procuramos objetivos comuns, comprometidos com a expansão dos nossos programas e princípios humanitários em muitas comunidades, agora e nos anos que estão por vir.
“Acredito que esta intransigente dedicação, a se juntar no serviço, é demonstrada no quinto objetivo “comentou nosso amigo Paulo: Promover um fórum para a discussão aberta de todas as matérias de interesse público, desde que não se debatam dissidências políticas e sectarismos religiosos. Todos concordamos que sabemos que apenas podemos nos manter focalizados no serviço comunitário quando respeitamos as crenças e opiniões, uns dos outros e não discutimos sobre elas em detrimento no que significa Nós Servimos. “Finalmente , Leões”, disse, “nosso sexto objetivo ressalta a necessidade de crescimento no número de membros e o conseqüente fortalecimento do companheirismo entre clubes: Encorajar pessoas com disposição de servir suas comunidades sem recompensa financeira pessoal, e encorajar a eficiência e promover elevados padrões éticos no comércio, na indústria, nas profissões, no serviços públicos, e nos empreendimentos privados. Este ano, é claro, ele pode ser adaptado para promover o programa três por um. Como vocês sabem , o propósito deste programa é informar aos novos Leões sobre realizações e metas de seus Clubes e desta Associação e que eles entendam tudo o que é esperado deles como Leões-membros. Também delineados a conduta que eles precisam exigir profissionalmente , nos negócios e como cidadãos em sua comunidade. Que caminho melhor para impregná-los com o real significado do companheirismo do Lions Clube Internacional.
Cada um de nós se despediu, mas consciente do significado dos Objetivos dos Leões e de como o espírito do companheirismo nos une para nos manter conscientes na missão global de servir nossas comunidades e seus necessitados.

A Chave do Leonismo
EPI CL William H. Wunder

A chave do futuro da nossa Associação, é a liderança efetiva e eficaz, é a chave do sucesso das nossas comunidades, liderança significa a diferença entre, enfrentar os desafios do futuro, ou alinhar-se com aqueles a quem tudo é indiferente; sem liderança eficaz, nenhuma organização terá seus programas ou atividades executados com sucesso.
Temos que proporcionar oportunidades de desenvolvimento de liderança, em todos os níveis de Lions Clubes.
Fortalecer as nossas habilidades de líder, necessita e exige, compromisso e muito trabalho; se esta Associação, o Lions, imagina pode continuar, a atender as necessidades humanitárias cada vez maiores, e aumentar a sua distinção e reconhecimento, e prestigio em todas as comunidades, ela deve acima de tudo se preocupar em fortalecer as suas habilidades de liderança.
Eu digo a vocês, que nós não podemos ficar inertes, se assim agirmos, o mundo simplesmente passará ao largo de nós, e a Associação Internacional de Lions Clubes será apenas um rodapé, em algum livro da historia; nós não podemos permitir isso, porque, a nossa Associação tem que ser uma Associação vibrante, ativa, sempre proporcionando serviços humanitários ao redor de todo o mundo.
Permitam-me compartilhar com vocês, o que eu entendo como liderança; essas experiências, esses entendimentos, se baseiam na minha vida, de ter crescido em uma família, onde o trabalho duro e a preocupação com outras pessoas eram um sinal de liderança. Meu pai uma vez me disse: filho, a vida é boa; mas as vezes, nós temos que enfrentar dificuldades sérias, às vezes nós temos que encarar, que somos colocados na terra, para fazer uma diferença, e a diferença que nós fazemos, depende exclusivamente de nós.
Uma forma de nós fazermos a diferença, é nos preocuparmos com as outras pessoas e ajudá-las nas suas necessidades, nos tempos de dificuldades, mas não espere que as outras pessoas sejam ajudadas em troca de favores, porque o próprio ato de ajudar já é uma recompensa em si.
Além da preocupação com o próximo, a liderança tem muitas outras qualidades, entre elas está a capacidade de se comunicar com outras pessoas e ouvir o que elas têm a dizer; liderança significa ser honesto, inspirar os outros e sentir entusiasmo por tudo que se faz, um líder deve ser inovador e dar exemplos, consecutivos e construtivos para as outras pessoas, um líder deve provocar desafios, e motivar os outros a enfrentá-los com você.
O que é motivação?
Motivação é algo que vem de dentro de você; na verdade, você não consegue motivar as outras pessoas a fazerem qualquer coisa, a não ser que elas queiram fazer; e a primeira pessoa a ser motivada, deve ser você, se você deseja criar um ambiente propicio, para que as pessoas passem a cooperar com você. Há estudos que mostram que a força interior que nos leva à independência, é muito mais forte e poderosa, do que o desejo de riqueza, status, ou reconhecimento, isso não soa familiar a vocês que são Leões?
Fatores como esses, é que certamente motivaram a meu pai e muitos lideres que eu conheci em minha vida. As pessoas podem ter todas essas qualidades que eu mencionei; as qualidades de preocupação com as outras pessoas, comunicação, capacidade de ouvir, honestidade, inspiração, entusiasmo, capacidade de dar exemplos positivos, capacidade de enfrentar desafios, motivar e definir objetivos, mas há uma dimensão sem a qual não haverá um verdadeiro líder, é o que meu tinha, é o que todo o líder, através do tempo tem tido: visão.
Visão, é a habilidade de olhar para o passado, e aprender das falhas; visão, é a capacidade de ver o que deve existir agora, e o que pode existir, através do seu esforço tornando-se melhor; visão, é a capacidade de olhar para o futuro e conhecer o que é possível; visão, é ser capaz de atrair os outros a também, junto com você, enxergar o futuro com comprometimento e com a condição e o desejo, de ajuda-lo a tornar realidade.
Eu tenho uma visão do que Lions deve ser, o Lions deve continuar a ser, a maior organização de serviço do mundo, deve continuar forte, não por ser grande, mas porque com o seu tamanho, pode ser capaz de realizar tantas coisas importantes; a Associação Internacional deve crescer, crescer em prestigio, reconhecimento, conscientização, e números; e deve crescer, não pelo crescimento em si, mas porque nós estaremos capacitados a realizar muito mais, se formos maiores, poderemos fazer aquela garotinha enxergar a sua mãe, podemos ajudar aquele garoto, a correr a sua corrida, ajudar aquela mãe a cuidar dos seus filhos, e ajudar aquele pai a tornar-se novamente produtivo; há muito de bom que pode ser feito e ainda deve ser feito.
Encerro minhas palavras, compartilhando com vocês, três pontos importantes: primeiro, a visão sem ação é sonho; segundo, a ação sem visão é simplesmente atividade aleatória; terceiro, visão e ação juntos, podem mudar o mundo. E com seu apoio, com sua liderança, nós tornaremos isso uma realidade.

Carta aberta aos novos companheiros
EGD CL Antônio Domingos Andriani

Assim como o jardineiro se exulta pelo nascimento de novas flores em seu jardim, a família leonística sente-se rejubilada por receber em seu seio homens e mulheres que tem como objetivo comum o afã do serviço desinteressado e do verdadeiro companheirismo.
Vocês notaram o respeito e atenção que lhes foi devotada pelos CCLL nos contatos e reuniões que antecederam a suas posses. Foi o respeito devido a pessoas diferenciadas que vocês passaram a ser a partir do ingresso no Lions, aceitando e assumido os objetivos de nossa causa.
Seus padrinhos já explicaram o que significamos, que somos, onde estamos, o que falamos desde que existimos, qual o nosso moto, nosso emblema, nossas cores, e principalmente nosso lema: Nós Servimos, que é pequeno na forma, mas infinitamente grande na significação.
NÓS SERVIMOS a todos ! Aos menos favorecidos, ajudamos com nossa mão e nossa palavra. Aos iguais, ajudamos com o calor de nosso abraço, com nossa tolerância, com nossa compreensão, com nosso sorriso e até mesmo compartilhando com sua dor.
Não pensem jamais que LIONS é uma casta ou “status social”. LIONS é um estímulo à manifestação da liderança e do espírito de humanidade, onde quer que eles se encontrem. LIONS não representa uma escada cujos degraus subimos para aparecer ou nos projetar. LIONS é uma plataforma que nos coloca no alto, onde merecemos estar, porém que nos propícia descer degraus para ajudar.
Leonismo não é apenas reunião de pessoas. Leonismo não é apenas campanhas, nem apenas assistência social ou filantrópica, nem apenas civismo, nem apenas tolerância religiosa ou política, nem apenas sentimento de fraternidade entre os povos. LEONISMO é tudo isso somado , é a abertura total de nosso espírito.
Vocês acabam de ingressar no Leonismo, já devem ter notado que não se sabe Leonismo; Leonismo se aprende; Leonismo se vive.
Leão verdadeiro é aquele que vive e sente o Leonismo. É ter orgulho de mostrar a todos que pertence ao LIONS, usando sempre seu distintivo na lapela, em todos os lugares.
Leão verdadeiro é aquele que considera sagrado o compromisso de estar presente às reuniões, de estar presente nas campanhas do clube, de manter em dia o preço deste compromisso, pagando suas taxas e mensalidades! Leão verdadeiro é aquele que entende que a reunião se inicia quando apenas dois CCLL se encontrarem na ante sala, e que alegria do companheirismo faz esquecer tudo: enfim, é lembrar que as grandes obras nem sempre são feitas de granito e que o grande número delas é construído apenas com AMOR E DEDICAÇÃO !!!
Obrigado, muito obrigado mesmo , por vocês terem chegado !!!

2 respostas a Instruções Leonisticas

  1. Pingback: Distrito LC8 » Arquivos de Blog » Alta Tecnologia nas Visitas Oficiais

  2. Pingback: Distrito LC8 » Arquivos de Blog » Instruções Leonisticas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *